PEDIR SUA MÚSICA

CLIQUE AQUI E FAÇA SEU PEDIDO MUSICAL


Mostre para seus amigos o que você está ouvindo aqui, eles poderão ouvir no Facebook, compartilhe nosso player.


A libertação Gay nos anos 60 e 70 era o começo da história de lutas

Ao contrário que muitos pensam, o movimento LGBT não teve início em 1969, nos bares de  Stonewall, mas sim em Londres já em 1725 quando a resistência militante à polícia não era nada de novo, como quando os clientes lutaram contra uma incursão da polícia na casa de um homossexual/trangênero na cidade.

Em 1960 os gays eram caçados pelo NYPD ( New York City Police Department ), que tinham uma política voltada a livrar a cidade dos "indesejáveis".Em 1965, influenciado pela direção de Frank Kameny no início dos anos 1960, Dick Leitsch, o presidente do Mattachine Society de Nova York, defendeu a ação direta, e o grupo encenou a primeira apresentação pública de manifestações homossexuais na década de 1960.Frank Kameny, fundador da Mattachine de Washington em 1961, havia defendido uma ação militante recordativa da campanha de direitos civis dos negros, ao mesmo tempo defendendo a moralidade da homossexualidade.


A década de 1960 foi uma época de revolução social no Ocidente e, a revolução sexual e a contracultura influenciaram mudanças na subcultura homossexual, que nos EUA incluíram livrarias, jornais e revistas vendidas ao público e um centro comunitário.

Foi nessa época que Los Angeles viu o seu primeiro grande movimento gay. Em 1967, na noite do Ano Novo, vários policiais vestidos à paisana infiltraram oBlack Cat Tavern.Depois de prender vários clientes por beijo em celebração da ocasião,os policiais auto-identificados começaram bater em vários clientes e ainda prenderam mais 16 pessoas incluindo três barmans. Isto acabou criando um tumulto nas imediações e, finalmente, trazendo uma demonstração mais civil de mais de 200 pessoas durante vários dias depois protestando contra a invasões.O protesto ficou conhecido por abrigar esquadrões de policiais armados.Foi a partir deste evento que a publicação The Advocate e organização da Igreja da Comunidade Metropolitana (Metropolitan Community Church)(liderada pelo pastor Troy D. Perry) nasceu.


Em 1968 houve uma nova era de movimentos radicais que foram favoráveis a rebelião de Stonewall.

Um grupo de jovens refugiados afeminados, rejeitados pelas famílias, da sociedade e a da comunidade gay, refletiram o movimento de contracultura mais do que qualquer outro grupo homossexual.Recusando-se a esconder a sua homossexualidade, eles foram brutalizados, rebelados por tomarem drogas, lutando e roubando homens gays mais velhos a fim de sobreviverem. Suas idades, comportamentos, vestuários femininos e a falta de conduta os deixaram isolados do resto da cena gay, mas vivendo perto das ruas, eles se tornaram os guerreiros perfeitos para a rebelião de Stonewall.

Em 1966 Adrian Ravarour e Billy Garrison fundaram a "Vanguard, Incorporated" uma organização de juventude LGBT que foi financiada e organizada pelo seu patrocinador, Glide Foundation e Glide Memorial Methodist Church, em San Francisco que, além disso, também forneceram assessores ministeriais (Reverendo Ed Hansen; Reverendo Larry Mimaya).

Garrison queria uma comunidade semelhante a de uma câmara municipal onde os encontros reuniriam frações do bairro de San Francisco Tenderloin para debaterem diferenças e resolverem os problemas. Ravarour propôs ações pelos direitos civis e demonstrações e protestos pela igualdade e o fim da discriminação. A Vanguarda juvenil marchou, assim, demonstrando a demanda de aceitação. Ravarour e seu companheiro foram entrevistados na rádio de São Francisco. Em seus discursos, humanizaram a homossexualidade como uma relação humana normal.

A Vanguarda também realizou um fim de semana de danças do mesmo sexo no Glide. Em agosto de 1966 um protesto no Doggie Diner foi seguido pelo apoio doCompton's Cafeteria. No final de 1966 o grupo juvenil se mudou para um teatro e depois para a Grove Street, 330, onde mudou seu nome para o The Gay and Lesbian Center (Centro de gays e lésbicas), o primeiro no país.

Em 28 de março de 1969 em San Francisco, Laurence Leo (o editor da Vetor, a revista da maior organização dos Estados Unidos sobre a homossexualidade, a Sociedade pelos Direitos Individuais) chamou de a "Revolução Homossexual de 1969", exortando os homens gays e lésbicas a se juntarem aos Panteras Negras e outros grupos de esquerda e, ainda, para "saírem do armário" em massa. Laurence foi expulso da organização em maio por caracterizar membros como "tímidos" e de "classe média, reprimidos e queens velhas e vadias."

Em seguida, ele co-fundou um grupo militante, o Comitê de Liberdade Homossexual com Gale Whittington - um jovem que tinha sido demitido da States Steamship Company por ser abertamente gay, depois que sua foto apareceu na Berkley Barb, ao lado da manchete "HOMOS, Don't Hide It!", o artigo revolucionário escrito por Leo Laurence. No mesmo mês Carl Wittman, um membro da CHF, começou a escrever o "Refugiados da Amerika: Um Manifesto Gay" (Refugees from Amerika: A Gay Manifesto), que mais tarde seria descrito como "a bíblia da libertação gay". Foi primeiramente publicado pela pela San Francisco Free Press e distribuído a nível nacional até a cidade de Nova York.

No verão de 1970 os grupos em pelo menos oito cidades norte-americanas eram suficientemente organizados para agendar eventos simultâneos comemorando a rebelião de Stonewall para o último domingo de junho.

Os eventos variaram de uma marcha altamente política de três a cinco mil pessoas em Nova York e milhares a mais em desfiles em Los Angeles, San Francisco e Chicago.Enquanto muitos grupos utilizavam o nome da Frente de Libertação Gay em vários lugares dos EUA, em Nova York a organização foi totalmente substituída pelo Aliança de Ativistas Gays (Gay Activist Alliance).

Grupos com um "Gay Lib" abordagem começaram a surgir em todo o mundo, tais como Campanha Contra a Moral Perseguição (CAMP, Inc.) na Austrália e os britânicos Gay Liberation Front. O grupo de lésbicas Lavender Menace também foi formada em os EUA em resposta à dominação do macho de outros grupos Gay Lib e do sentimento anti-lésbicas no Movimento de Mulheres.

O lesbianismo foi defendida como uma opção para as mulheres feministas, e as correntes antes de separatismo lésbicas começaram a surgir.Grupos com um a abordagem da FLG começaram a surgir em todo o mundo, tais como a Campanha Contra a Perseguição Moral (Campaign Against Moral Persecution)(CAMP, Inc.) na Austrália e a Frente de Libertação Gay Britânica (British Gay Liberation Front). O grupo de lésbicas Lavender Menace também foi formado nos EUA em resposta à dominação do masculino, de outros grupos gays de libertação e do sentimento anti-lésbicas no movimento de mulheres. O lesbianismo foi defendido como uma opção para as mulheres feministas e as primeiras correntes do separatismo de lésbicas começaram a surgir.


Fonte: Thomas Mallon "They Were Always in My Attic," American Heritage, February/March 2007. Carter, David, 2004. Stonewall:The Riots that Sparked the Gay RevolutionSpeaking OutTimeline of Homosexual History, 1961 to 1979The Tangent Group: Press Release regarding the 1966 raid on the Balck Cat bar L.A., 1/1/67: the Black Cat riots. | The Gay & Lesbian Review Worldwide (March, 2006) Letters from Camp Rehoboth - September 14, 2007 - Shelley, Martha, 1970. Gay is Good. Carter, David, 2004. Stonewall:The Riots That Sparked the Gay Revolution. Sibalis, Michael. 2005. Gay Liberation Comes to France: The Front Homosexuel d’Action Révolutionnaire (FHAR), Published in 'French History and Civilization. Papers from the George Rudé Seminar. Volume 1.



Fonte: gplaneta.blogspot.com.br/





  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...