PEDIR SUA MÚSICA

CLIQUE AQUI E FAÇA SEU PEDIDO MUSICAL


Mostre para seus amigos o que você está ouvindo aqui, eles poderão ouvir no Facebook, compartilhe nosso player.


Internet vai chegar pela tomada

Agora é uma questão de tempo para a internet via rede elétrica chegar à sua tomada. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou na terça-feira (25) as regras para que as empresas de energia comecem a oferecer internet baseada na tecnologia BPL (Broadband Over Powerlines), que permite tráfego de dados pelas linhas elétricas.

O sistema é testado no Brasil há alguns anos. Em São Paulo, 150 pessoas já têm a banda larga fornecida pela Eletropaulo Telecom. "É mais uma concorrência que pode haver no mercado", disse o engenheiro paulistano Sakae Icyukawa, que recebeu um modem pouco maior do que uma carregador de celular e usa o serviço-piloto desde o ano passado.

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) regulamentou a tecnologia em abril, após uma consulta pública e uma série de testes. "Nossa preocupação foi estabelecer as condições para as tecnologias conviverem harmonicamente", disse Maximiliano Martinhão, gerente-geral de certificação e engenharia do espectro da Anatel. Segundo ele, os testes mostraram que a tecnologia é segura em relação a seu maior problema: a possibilidade de causar interferências na radiofusão.

Agora começa a fase de licitações para ver quem é que vai abocanhar o mercado. As empresas de energia elétrica têm duas opções: ou alugam a infra-estrutura da rede para as telecoms oferecerem a conexão, ou elas mesmas criam subsidiárias para prestar o serviço.

As agências estão otimistas. A Aneel diz que o aluguel da rede pode baratear a conta de luz, e a Anatel afirma que a tecnologia contribuirá para a inclusão digital - afinal, a rede elétrica chega a 98% das residências no País.

Uma coisa é certa: entrarão novas empresas no mercado de banda larga. As que estão mais próximas de oferecer o serviço são derivadas ou subsidiárias das empresas elétricas. Martinhão, da Anatel, aponta algumas: a Celg (GO), a Copel (PR), a Cemar (MA) e a Eletropaulo Telecom (SP), que já testam a conexão.

Em São Paulo, a AES Telecom usa a infra-estrutura de fibra óptica, que já é utilizada na cidade para transmissão de dados em grandes empresas, para conectar os usuários à internet. A fibra óptica vai até os condomínios, onde há um aparelho que converte o sinal para ser transferido pela rede elétrica. De lá, os dados são distribuídos até as casas dos usuários, que só precisam de um pequeno modem para acessar a internet pela tomada.

"A tecnologia é bem robusta para ruídos elétricos", disse ao Link Nicolas Maheroudis, responsável pela área na AES Telecom. Ele, porém, pondera que alguns equipamentos podem, sim, prejudicar a conexão. O "cobaia" Icyukawa diz que, no começo, o serviço falhou. Hoje, não mais. "Quando senti firmeza, cancelei o Speedy", disse.


Fonte:seligabroto

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...